Powered by ZigaForm version 4.5
Central de Atendimento:
(11) 3080-1000 | (11) 2500-0500 | (11) 4020-0131

Portaria Remota Peter Graber

Peter Graber Alarmes

Como lidar com entregas no condomínio com a pandemia do Covid-19?

Autor: Comentários desativados em Como lidar com entregas no condomínio com a pandemia do Covid-19?

Durante este momento de pandemia do novo coronavírus, o contato físico tem sido altamente restrito para evitar o contágio das pessoas, principalmente das mais vulneráveis, pertencentes ao grupo de risco. Assim, lidar com entregas no condomínio em meio ao surto da doença é uma preocupação que vários condôminos e colaboradores. Como receber de forma segura uma encomenda ou um delivery durante a quarentena?

Para responder essa pergunta, no texto vamos falar sobre as recomendações de como proteger a si mesmo e a sua família do contágio através das entregas. Essas ações podem ser executadas tanto pelo morador quanto pela administração do condomínio para evitar o contágio dentro das dependências. Confira! 

Como os moradores podem se proteger em entregas no condomínio?

Os serviços de entrega de alimentação e encomendas são essenciais e continuam a funcionar mesmo com medidas de isolamento social. Inclusive, o e-commerce e os deliveries tem sido peça fundamental para manter as medidas de isolamento em curso. Dessa forma, as entregas no condomínio tem aumentado, e por isso, é importante que certas regras sejam executadas para evitar o contágio na hora da entrega. 

Alguns aplicativos de entrega de alimentos como o Ifood, Rappi e Uber Eats tomaram algumas medidas para aumentar a segurança de seu trabalho, como, por exemplo, o pagamento no aplicativo através do cartão de crédito para diminuir o contato com o entregador e também a invenção da “Entrega sem Contato”, que é uma opção em que o trabalhador pode deixar o pedido em um local específico, sem precisar interagir diretamente com o cliente. Além disso há um cuidado com a segurança dos profissionais oferecendo kit de álcool em gel e máscaras para serem usados durante sua jornada de trabalho. 

Da mesma forma, os pedidos que chegam através dos correios ou de transportadoras vindo dos e-commerces também precisam de cuidados especiais. Assim, recomendamos a seguir, algumas ações que você, morador, pode utilizar para ajudar a evitar ainda mais o risco de infecção.

Mantenha distância de quem estiver entregando o objeto (Zelador, entregador ou outra pessoa)

Alguns lugares tem a figura do Zelador como o recebedor de entregas no condomínio. Nesse momento, tente manter uma distância de, no mínimo um metro e, de preferência, vá de máscara ao seu encontro. Quando receber o pacote, evite tocar em suas mãos e ao assinar o documento de recebimento, se estiver com uma caneta própria, use-a. No caso da entrega ser diretamente com o entregador, siga esses mesmos passos.
Além disso, para delivery em aplicativos de entrega, se puder, use o recurso da entrega sem contato, se estiver disponível, para aumentar ainda mais a sua segurança e a do entregador. 

Higienize as embalagens e descarte-as

Antes de abrir o seu produto, certifique-se de higienizar corretamente as embalagens. Pode ser com álcool 70% ou lavando-as com água e detergente, caso seja possível. Após isso, higienize também o local nos quais a embalagem tocou e descarte-as imediatamente. 

Lave as mãos

Antes e depois do procedimento de limpeza das embalagens, lave as mãos de maneira adequada, certificando-se de não deixar nenhuma parte das mãos e dos dedos de fora da higienização.

Como o condomínio pode ajudar na segurança das entregas? 

Já, do ponto de vista da administração alguns cuidados podem ser tomados para deixar todos os moradores mais seguros em relação a ameaça de contágio através das entregas no condomínio. Vamos aqui falar de algumas medidas administrativas que fazem a diferença no combate ao coronavírus:

Conscientizar os moradores sobre as boas práticas de higiene

Para garantir a segurança de todo o condomínio, todos precisam fazer a sua parte. Para garantir que isso aconteça, a figura de liderança do Síndico é primordial. Promova uma campanha de conscientização para instruir todos os condôminos de como se portar nas áreas comuns, inclusive no recebimento de entregas, para evitar o contágio de vizinhos e colaboradores. 

Tomar todas as medidas de segurança em relação a higiene própria e dos objetos 

A pessoa responsável por receber as encomendas e entregas como o  Zelador, guarda ou outros, precisam estar atentos à sua própria segurança em relação a contaminação e a proteção dos moradores. Por isso, lave as mãos ao tocar em uma encomenda. Se possível, o uso de luvas ajuda também na proteção, mas não exime a necessidade de higienizar as mãos. O local designado para se guardar as encomendas também precisa ser higienizado constantemente. Caso seja acordado entre o condomínio e os moradores, também pode ser feita uma pré-higienização das encomendas na portaria, caso haja um responsável pela tarefa. 


Outra dica de higiene é, quando for fazer a assinatura do recebimento da entrega, use uma caneta própria. Mesmo assim, depois de receber as entregas no condomínio, lave as mãos. 

Oriente bem a equipe de portaria quanto a possibilidade de golpes 

Nesse momento, algumas pessoas mal intencionadas estão aproveitando para aplicar alguns golpes em portarias. Por isso, reforce as medidas de segurança, se possível, mantendo uma barreira física entre o prestador de serviço delivery e não autorize a entrada de entregadores dentro das dependências do condomínio. Nessa hora, todos os colaboradores da moradia precisam estar informados e atentos a qualquer possibilidade de golpes. 

Utilizar Portaria Remota

A Portaria Remota é um recurso que abarca muitas dessas medidas citadas para promover tanto a segurança contra o coronavírus, quanto para golpes aplicados. Nesse tipo de portaria, o atendimento é remoto, através de profissionais qualificados localizados em uma central à distância, permitindo maior segurança para o atendimento dos entregadores. Através do sistema de câmeras, os profissionais da Portaria Remota conseguem ter acesso a imagens do prestador de serviço delivery e de todo o entorno, reduzindo drasticamente o risco de golpes. Além disso, é instalado um sistema de eclusa, com a aplicação de dois portões, para que você tenha total segurança em receber sua entrega e manter as medidas de isolamento físico recomendados. 


A Peter Graber possui essa solução em Portaria Remota, para que os condomínios possam ficar ainda mais seguros nesse momento. Essa sistema economiza até 60% dos custos mensais das taxas condominiais, além de oferecer muito mais proteção para moradores e colaboradores, inclusive em entregas no condomínio. Quer saber mais sobre como seu condomínio pode ficar ainda mais seguro? Acompanhe nosso site e fale conosco.

Confira as regras e cuidados do playground do condomínio

Autor: Comentários desativados em Confira as regras e cuidados do playground do condomínio

Para que os moradores possam se divertir sem precisar sair de casa, os condomínios apostam em diversas opções de lazer, como academia, piscina, playground infantil, espaço gourmet, entre outros. O playground do condomínio é uma área comum de diversão, normalmente ao ar livre, especificamente criado para crianças e adolescentes estimularem a prática de brincadeiras e atividades corporais. Mas para manter um espaço deste no condomínio, é importante seguir regras e condutas específicas para resguardar os mais vulneráveis a acidentes.

Quer saber mais sobre como instalar um playground em seu residencial, e quais os cuidados que devem ser tomados para garantir a alegria das crianças do condomínio? Então acompanhe este texto até o final e descubra!

O que você precisa saber na hora de instalar um playground no condomínio

Se o seu condomínio ainda não tem um playground infantil, antes de levantar o assunto para votação, é recomendado que o síndico responsável solicite diversos orçamentos. Sempre meça a área em que será construída o playground do condomínio, pois as medidas são essenciais para as cotações das empresas. Profissionais especializados alertam que o espaço do playground deve ser grande o bastante para uma organização planejada, que leve em conta diversos fatores como, por exemplo, a medida para a passagem de um grande número de crianças entre um brinquedo e outro.

Os brinquedos de playgrounds mais comuns são os de plástico com estrutura de metal, devido a sua durabilidade, ou feitos de madeira, por harmonizar com projetos de paisagismo atuais. Na hora de orçar a instalação, boa procedência e segurança precisam ser consideradas. Os equipamentos devem ser fabricados sem a adição de produtos tóxicos, cumprirem as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), além de possuírem certificação dos órgãos fiscalizadores, como o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial).

Ainda existem outras questões que precisam ser levadas em consideração, não só no processo de instalação do playground, mas também durante o seu uso no condomínio.

Vamos mostrar a seguir, os aspectos essenciais que merecem atenção em seu playground:

Piso especial

Crianças querem correr e pular sem parar, principalmente no playground do condomínio. Por isso, um detalhe especial no projeto é o tipo de chão ideal para evitar incidentes. Invista em opções com amortecimento, como areia, espumas ou gramado sintético.

Rotina de manutenções preventivas no playground do condomínio

Em meio a diversão dos pequenos, que ainda não desenvolveram totalmente suas habilidades de coordenação motora, brinquedos com algum dano por falta de manutenção podem facilmente causar acidentes como quedas, cortes, arranhões ou machucados.

Portanto, além da limpeza periódica, a manutenção cuidadosa da área infantil deve ser incluída na lista de afazeres diários, ou no máximo semanais da administração do condomínio. De modo geral, a vistoria deve ser realizada atenciosamente pelo zelador ou síndico, com o auxílio de um checklist de itens que foram vistoriados e consertados, sendo posteriormente assinado e arquivado pelo responsável. 

Os aspectos de manutenção que precisam ser considerados numa lista de rotina englobam parafusos ou pregos soltos, pequenas quebras, encaixes, chumbamento dos brinquedos, piso muito escorregadio, entre outros. Caso o playground seja com caixa de areia, ela precisará de uma higienização especial contra contaminações de bactérias e fungos, algo essencial para condomínios com muitos animais de estimação.

É sempre bom ter em mente que todo tipo de danificação ou deterioração no playground do condomínio é responsabilidade da administração e cabe ao síndico arcar civil e criminalmente por incidentes gerados por ausência de conservação dos espaços comuns. Em residenciais novos, a responsabilidade pelos equipamentos é de cinco anos. Se algum brinquedo apresentar defeito, o síndico é responsável por substituí-lo ou consertá-lo o mais rápido possível.

Horários específicos para uso

Os sons altos em áreas para crianças podem ser vistos como um problema entre alguns vizinhos. Cada residencial tem a sua própria rotina, por isso é necessário definir um horário para a utilização do playground do condomínio, para que itens que precisam de mais cuidado, como a caixa de areia, possam ser conservados. O período de funcionamento deve ser definido durante reuniões de moradores, sendo escolhido geralmente o horário entre 9h e 20h para a diversão dos pequenos.

Regras visíveis e segurança

Para evitar contratempos no playground, o ideal é que o residencial tenha normas especiais para a utilização dos instrumentos. Poucos conhecem, mas há uma cartilha de regras específicas para a instalação do playground infantil e regulamentação de segurança definidas pela ABNT. Porém, além de regras básicas, como a de que menores de 12 anos não podem usar o playground desacompanhadas de um adulto, é essencial que as regras de uso interno sejam claramente definidas em reuniões no condomínio. A aprovação da norma é feita em assembleia, na presença da grande maioria dos moradores, e deve ser fixada de forma visível no playground.

Essas regras servem basicamente para garantir a segurança das crianças enquanto usam os equipamentos do playground, mas somente elas não são suficientes para evitar acidentes. Uma forma verdadeiramente efetiva de proteger não só os pequenos, mas todos os moradores, é apostar num sistema de monitoramento condominial por câmeras. Além de ser extremamente efetivo contra invasores, a vigilância remota pode identificar descuidos no uso dos equipamentos e desrespeitos à norma do playground, servindo de ferramenta para o síndico corrigir assertivamente o problema. Vale lembrar que nesta fase da pandemia do Covid-19, é importante que o espaço do parquinho fique fechado para evitar aglomerações. 

Gostou de saber tudo sobre a instalação e funcionamento de um playground do condomínio? A Peter Graber sempre traz para você as melhores dicas e soluções para a sua empresa, a sua casa e seu residencial. Então entre em contato, fale com um de nossos especialistas e conheça tudo que a Peter Graber pode te oferecer!

5 diferenciais de segurança ao implementar a Portaria Remota

Autor: Comentários desativados em 5 diferenciais de segurança ao implementar a Portaria Remota

Nas grandes cidades, escolher morar em um condomínio já é uma excelente aposta na segurança, porém, com a crescente violência urbana, é sempre bom investir cada vez mais na proteção da casa e da nossa família. Neste cenário, a Portaria Remota é atualmente a melhor aliada na segurança de muitos prédios e condomínios na país, se destacando como uma solução eficaz e econômica para residenciais dos mais diversos tipos e tamanhos.

Se você ainda tem dúvidas sobre como este sistema altamente tecnológico funciona e quais são as principais diferenças em relação a uma portaria convencional, continue lendo este texto. Aqui nós vamos mostrar porque este é o sistema mais seguro para o seu condomínio.

O que é a Portaria Remota?

Em geral, esta portaria tem um funcionamento similar e monitora tão bem quanto um porteiro presencial. A diferença fundamental é que a figura física do porteiro é substituída por sistemas eletrônicos, que acompanham os acessos de saída e entrada do seu prédio ou condomínio por meio de câmeras e uma rede de internet. Essas imagens são enviadas para uma central protegida, onde especialistas em monitoramento observam e gerenciam a distância todas as ações realizadas no condomínio. Esta solução impede um dos métodos mais comuns utilizados por criminosos, a rendição e coerção do porteiro, garantindo um grande aumento em segurança condominial, uma vez que o porteiro estará na central. Em suma, a Portaria Remota é um sistema extremamente moderno e tecnológico de monitoramento 24 horas de alarmes, câmeras e controle automatizado de acesso.

Agora que você já conhece esta moderna solução para condomínios, saiba a seguir os principais aspectos que diferenciam e melhoram este sistema em relação a portaria convencional.

O Porteiro

Um porteiro diariamente exerce diversas demandas e funções, como atendimento de condôminos, saída e entrada de veículos, controle de visitantes, gerência de prestadores de serviço e recebimento de correspondências. O excesso de trabalho gera consequências prejudiciais para a segurança do condomínio, algo completamente oposto no serviço de Portaria Remota. Isso porque os profissionais que operam a central de monitoramento, além de atuarem em revezamento periódico, são treinados para controlar o sistema e têm qualificação para reagirem corretamente a ameaças e situações de risco. Como resultado dessa inovação, o monitoramento torna-se permanente e elimina a necessidade de contratação de, no mínimo, quatro funcionários para a portaria, diminuindo muito o custo de toda a operação e de taxas condominiais.

Controle do fluxo de pessoas em condomínio com Portaria Remota

O controle da entrada e saída de moradores, visitantes e prestadores de serviço é um dos pontos mais positivos da Portaria Remota em relação a portaria comum, pois a aplicação de alta tecnologia no sistema faz com que os acessos se tornem muito mais seguros e rápidos. A entrada de moradores por exemplo, é feita de forma totalmente automática, por meio de tags, senhas e biometria.

Para o acesso de funcionários, a recomendação é que o condomínio registre todos os contratados e conceda para eles uma forma de entrada, seja por biometria, tags ou senhas. Entretanto, é importante lembrar que cada condomínio define o seu próprio procedimento para este acesso.

Já a entrada de visitantes segue o seguinte procedimento: logo que o convidado interfona e informa o imóvel que deseja visitar, ele é monitorado pelas câmeras na central de atendimento. O funcionário treinado entra em contato com o morador, permitindo ou não o seu acesso. Apenas depois da autorização é que o operador pode liberar a entrada do convidado, abrindo remotamente os portões.

Entrada e saída de veículos

Para que a abertura dos portões seja realizada da forma mais ágil e segura, os moradores contam com controles de portões com sistema anticlonagem, sempre contando com o monitoramento à distância da central.

Aplicativo para celular

Outra inovação deste sistema é o aplicativo para smartphones que permite você controlar remotamente o acesso do seu condomínio, autorizar e visualizar em tempo real a entrada e saída de pessoas com as imagens das câmeras, reservar áreas comuns e muito mais. Por exemplo, a liberação do acesso de visitantes é realizada através de chaves virtuais. Com ela, o próprio morador cadastra os dados do convidado de maneira simples e prática, e envia um convite para que o visitante ou funcionário possa acessar o interior do condomínio. Este procedimento se torna mais seguro do que numa portaria convencional pois a chave só se torna válida quando o visitante estiver a uma distância pré-determinada das áreas de acesso, além de só poder ser usada pelo visitante cadastrado que recebeu o convite, impossibilitando a sua clonagem.

Sistema integrado de câmeras e alarmes

A solução de Portaria Remota não estaria completa sem o monitoramento e controle integrados ao sistema de alarmes e câmeras do residencial. O serviço de portaria da Peter Graber, por exemplo, conta não só com a vigilância perimetral, mas também com alarmes de incêndio do tipo “quebra vidro”, ronda noturna motorizada e ronda virtual pelo circuito interno de câmeras, garantindo a segurança plena e constante do condomínio e seus moradores.

Essas são apenas algumas das vantagens e melhorias que podem ser implementadas no seu residencial migrando para esta moderna solução em portaria. Se você quer saber mais, conheça a Portaria Remota da Peter Graber, um sistema que conta com os melhores equipamentos, moderna infraestrutura e funcionários treinados e capacitados para a segurança do seu condomínio. Entre em contato com os especialistas da Peter Graber e conheça mais dos nossos serviços!

Condômino inadimplente: quais são seus direitos e deveres?

Autor: Comentários desativados em Condômino inadimplente: quais são seus direitos e deveres?

Conviver em comunidade muitas vezes significa encarar alguns desafios de percurso. Em um cenário de crise, diversas pessoas estão sofrendo problemas financeiros ou perdendo seus empregos, e, consequentemente, isso afeta diretamente na pontualidade da quitação das taxas de condomínio. Se você for síndico, lidar com um condômino inadimplente pode ser difícil, pois isso também afeta a vida dos moradores que pagam corretamente. Sendo assim, para te ajudar na resolução desse problema, criamos este texto com tudo que você precisa saber na hora de lidar com a inadimplência em seu condomínio.

Previna a inadimplência condominial

É sempre melhor prevenir do que remediar. Por isso, a primeira dica de como o síndico pode evitar a inadimplência no condomínio é manter as finanças bem organizadas, observando atentamente todas as arrecadações de taxas, sem exceção. O síndico pode adotar a prática de notificar com antecedência os moradores, por e-mail, carta ou outro meio, sobre o vencimento das mensalidades. Quanto mais cedo o síndico identificar o problema, melhor será o controle do tamanho do déficit do morador e mais agilmente se evitará que uma dívida se torne uma bola de neve para o condomínio. É indispensável neste caso que o residencial tenha um fundo de reserva para cobrir as contas numa situação de inadimplência. Este caixa servirá para aliviar os gastos com serviços de emergência e consertos não previstos, sempre lembrando que os valores retirados do fundo precisam ser repostos com prioridade.

Uma forma bastante inovadora de impedir a inadimplência é reduzir a taxa do condomínio através da Portaria Remota. Este tecnológico sistema de segurança, além de ser mais seguro, diminui em até 60% os custos com portaria, valor que pode ajudar o condomínio a reduzir o valor cobrado aos moradores, enquanto melhora a segurança do residencial.

Outro ponto é que a convenção condominial deve conter normas específicas do procedimento em caso de um condômino inadimplente. Se não as contém, a solução é convocar uma reunião de assembleia para definir, junto com os moradores, as penalidades aplicáveis. É essencial que todos determinem e concordem em conjunto com as ações estabelecidas, como o prazo de notificação para inadimplentes, o valor cobrado dos juros pelo atraso, e quando é possível fazer uma cobrança na justiça. Nesse aspecto, é fundamental que o regimento e a convenção condominial sejam analisadas por especialistas para evitar quaisquer ilegalidade contra os direitos dos devedores. A aprovação na reunião de assembléia se dá pela votação de ⅔ dos moradores.

Mas, e se o condomínio já tiver inadimplentes?

Prevenir é essencial, mas se as dívidas já forem uma realidade no condomínio? A não quitação das cotas condominiais geram impactos financeiros em todos os moradores, pois seguranças, funcionários e manutenção são pagos com a verba acumulada e, quando há uma queda de arrecadação, os demais terão que cobrir a falta deixada pelos vizinhos inadimplentes. No primeiro momento, o síndico deve agir rápido, com entendimento das normas e das finanças, empatia, comunicação e persuasão. Agende um encontro, converse amigavelmente com o devedor, tente entender o motivo do atraso no pagamento, qual a condição do condômino e como vocês podem reverter essa situação.

Se o pagamento do condomínio for atrasado, o residente tem, seguindo as normas da convenção do residencial, um prazo de 30, 60 ou até 90 dias para quitar a dívida do mês, com multa de 2%, juros de 1% ao mês e mais o valor da inflação do tempo de atraso.

Como funciona o processo de cobrança judicial?

Se um acordo não for realizado, a saída é tentar resolver a questão no âmbito jurídico. No passado, fazer uma cobrança do condomínio na justiça era extremamente burocrática e levava anos para a sua resolução. Porém, desde 2016, graças ao novo Código de Processo Civil (CPC) o julgamento ocorre de uma maneira muito mais rápida.

Para começar um processo, o condomínio deve atestar a dívida, reunindo atas de assembléias e recibos de atraso, com a ajuda de um advogado. Caso o juiz decida em favor do residencial, o condômino inadimplente condenado no Tribunal de Justiça deverá quitar as dívidas condominiais determinadas pelo juiz no prazo de 3 dias. Se não houver o pagamento, o valor será penhorado da conta bancária do morador e, caso não haja dinheiro no banco, seus patrimônios, como a casa, por exemplo, serão leiloados.

O que o condômino inadimplente pode ou não pode fazer?

Ainda há muitos questionamentos sobre o que o condômino inadimplente pode ou não fazer diante da lei. Por isso, respondemos abaixo três dúvidas comuns entre síndicos e moradores sobre esta situação.

Ele pode participar de assembleia?

Variando de acordo com o que é dito na convenção e no regimento interno do condomínio, o devedor pode ser proibido de integrar as reuniões. Em todo o caso, o condômino inadimplente não pode votar em assembleia geral, conforme determinação do artigo 1.335.

Ele pode usar áreas comuns?

Mesmo sendo uma prática comum, o morador com mensalidades atrasadas não pode ser proibido de utilizar as áreas comuns do residencial, como salão de festas, brinquedoteca, piscina ou elevadores. Ter esse direito negado ao condômino pode fazê-lo mover um processo contra o condomínio.

Ele pode se tornar síndico?

De acordo com o artigo 1.335, apenas os moradores quites têm o direito de votar e deliberar em assembléia. Dessa forma, devedores não podem exercer a função de síndicos, pois eles não poderiam conduzir uma reunião de moradores e muito menos, por choque de interesses, ser autores e réus em uma ação judicial por inadimplência.

Agora que você já sabe como evitar e resolver problemas causados por um condômino inadimplente, que tal tomar a iniciativa de diminuir custos e melhorar a segurança do condomínio fazendo a migração para a Portaria Remota? A solução da Peter Graber conta com os melhores equipamentos e funcionários treinados para atender todos os tipos de residenciais. Gostou? Então entre em contato conosco e conheça mais dos nossos serviços!

Confira 5 vantagens da Assembleia Virtual de condomínio

Autor: Comentários desativados em Confira 5 vantagens da Assembleia Virtual de condomínio

Muitos síndicos sabem que fazer os moradores participarem das assembléias do condomínio não é uma tarefa simples. E com o mundo passando por tempos de reclusão, fazer assembleias presenciais não é uma possibilidade. A saída mais fácil e prática para essa situação é usar o aplicativo da Peter Graber para realizar reuniões e Assembleia Virtual de condomínio. Além disso, o aplicativo oferece outras facilidades para a gestão do condomínio nesta época de cuidados contra o Coronavírus. Quer conhecer todas as possibilidades e vantagens que a assembléia virtual pode trazer para o seu residencial? Então este texto foi feito para você!

Como funciona a Assembleia Virtual de Condomínio?

O desinteresse de uma parcela de moradores e a rotina acelerada do dia a dia costumam esvaziar cada vez mais os encontros, deixando importantes decisões nas mãos de poucos. Isso faz com que em uma grande parcela de condomínios, o modelo atual de assembleias presenciais não funcione. E para resolver todos estes problemas, foi elaborada a assembléia virtual, criada para melhorar a administração e a tomada de decisões do residencial. Para condomínios que já têm a nossa solução de Portaria Remota instalada em suas dependências, se reunir remotamente é muito simples: Os moradores que têm o registro e o acesso no aplicativo podem participar e sugerir votações e debates a qualquer instante, sem precisar estar em um local com data e hora marcada.

Lembrando que, segundo o artigo 1.350 do Código Civil, não há qualquer proibição na lei à implantação de um sistema virtual de assembléias de condomínio. O que pode ocorrer são citações na norma condominial de que os encontros sejam necessariamente presenciais. Caso ocorra esse tipo de proibição na convenção do condomínio, o síndico pode sugerir a mudança do documento, algo que demanda a aprovação de, no mínimo, ⅔ dos residentes.

Agora que você já sabe como essa alternativa digital funciona, confira todos os benefícios da Assembleia Virtual de Condomínio.

Aumento na participação

Talvez a maior vantagem desse tipo de assembléia seja o crescimento considerável de presença dos condôminos. Isso se deve principalmente pela comodidade de interagir com os outros moradores na sua própria casa e a facilidade de comunicação através de um aplicativo no seu smartphone.

Reuniões com mais foco

Vale lembrar que uns dos maiores motivos para a baixa participação dos residentes em assembléias do condomínio são aquelas discussões sobre assuntos fora da pauta, como debates de cunho pessoal, o custo de dinheiro e tempo na organização dos encontros. O síndico aumenta a objetividade e o foco com a assembléia virtual pois, através do aplicativo, os condôminos podem sugerir, debater e votar de forma ordenada e sem conversas desnecessárias.

Melhoria na convivência diária

É bem conhecido que, dentro de um condomínio, os moradores decidam e apliquem as melhores soluções para o coletivo, quando decidido de forma democrática. Logo, se a Assembleia Virtual de Condomínio aumenta a presença e a atuação dos residentes, as deliberações serão mais participativas, gerando menos desentendimentos, boatos e insatisfação entre os condôminos. O resultado final dessa cooperação é uma melhora significativa na convivência diária entre os moradores.

Mais transparência nas decisões

Outra função da Assembleia Virtual de Condomínio que permite a maior concordância e respeito pelas deliberações do coletivo é a disponibilidade integral para os residentes de todas as atas das eleições, debates e contratos. Essa administração condominial mais transparente é feita de uma maneira muito simples: basta o síndico registrar a ata em cartório no fim de cada assembléia e posteriormente adicioná-la no aplicativo.

Muitas outras vantagens incluídas na Assembleia Virtual de Condomínio

A Assembleia Virtual de Condomínio é uma ótima ferramenta de participação condominial dentro de um enorme pacote de vantagens dentro do sistema de Portaria Remota. A solução de segurança da Peter Graber permite comodidade, agilidade e economia em um aplicativo 100% online com atendimento especializado e respeito ao cliente. Se você é síndico, poderá ter acesso a relatórios, cadastro completo do condomínio, leituras de gás e água, além de poder gerir contratos, documentos, manutenções preventivas e muito mais através do celular. Para moradores, o aplicativo para Android e iOS da Peter Graber oferece agendamento de áreas comuns, mural de recados, 2ª via de boletos, previsão de visitas, chave virtual e diversas outras funções na palma da mão.

Ficou interessado em ter a melhor opção de gerenciamento condominial, não só para esta época de confinamento, mas para estabelecer de vez a Portaria Remota em seu prédio ou residencial? Então entre em contato com os especialistas da Peter Graber e conheça mais sobre os benefícios da Assembleia Virtual de condomínio.